A sua opinião é importante para nós, clique aqui...  Facebook  Eco-friendly 0% CO2 Green Website - Powered by Solar and Wind Energy Certified
Voluntariado

   

Voluntariado no Centro

A comunidade resulta da iniciativa e da participação das pessoas que nela vivem. Implica uma dinâmica de envolvimento, de criação de relação, empenhamento na resolução dos problemas que nos afectam, solidariedade, reforço das redes de vizinhança, cooperação com as diferentes instituições e grupos locais.

O voluntariado no CCPC tem por objectivo potenciar a acção do Centro em termos de respostas e serviços, chegando com mais qualidade a um maior número de pessoas, possibilitando uma intervenção mais humana e com maior efeito na comunidade. Por outro lado facilita a participação cívica, a aquisição de experiência, competências, contribuindo para a realização pessoal e bem comum.


Voluntariado

Voluntariado é o conjunto de acções de interesse social e comunitárias realizadas de forma desinteressada por pessoas, no âmbito de projectos, programas e outras formas de intervenção ao serviço dos indivíduos, das famílias e da comunidade desenvolvidos sem fins lucrativos por entidades públicas ou privadas.
Não são abrangidas pela presente lei as actuações que, embora desinteressadas, tenham um carácter isolado e esporádico ou sejam determinadas por razões familiares, de amizade e de boa vizinhança.
(Art.º 2º da Lei nº 71/98, de 3 de Novembro)

Pense nisto antes de decidir:

- Qual a razão porque quer ser voluntário/a?
- O que espera dar e receber sendo voluntário/a?
- De quanto tempo dispõem?
- Qual o nível de responsabilidade que está disposto/a assumir?

Voluntário

“O voluntário é o indivíduo que de forma livre, desinteressada e responsável se compromete, de acordo com as suas aptidões próprias e no seu tempo livre, a realizar acções de voluntariado no âmbito de uma organização promotora.

A qualidade de voluntário não pode, de qualquer forma, decorrer de relação de trabalho subordinado ou autónomo ou de qualquer relação de conteúdo patrimonial com a organização promotora, sem prejuízo de regimes especiais constantes da lei.”
(Art.º 3º da Lei nº 71/98, de 3 de Novembro).

Direitos do Voluntário

- Desenvolver um trabalho de acordo com os seus conhecimentos, experiências e motivações;
- Ter acesso a formação inicial e contínua;
- Receber apoio no desempenho do seu trabalho com acompanhamento e avaliação;
- Exercer o seu trabalho em condições de higiene e segurança;
- Circular livremente pelos espaços do Centro respeitando a privacidade de cada serviço.
- Participar das decisões que dizem respeito ao seu trabalho;
- Ser reembolsado pelas despesas que tenha no âmbito do desempenho da sua actividade (títulos de transporte públicos, alimentação, etc.) desde que justificado e com conhecimento do seu enquadrador.
- Expressar a sua opinião e dar sugestões sobre o trabalho do Centro.
- Ser reconhecido pelo trabalho que desenvolve com acreditação e certificação desde que solicitada.
- Acordar com o Centro um programa de voluntariado, que regule os termos e condições do trabalho que vai realizar.
- Cartão de voluntário depois de formalizada a sua acção e que deve usar sempre que se encontra ao serviço do Centro.
- Seguro.

Deveres do Voluntário

- Respeitar a vida privada e a dignidade da pessoa;
- Respeitar as convicções ideológicas, religiosas e culturais;
- Guardar sigilo sobre assuntos confidenciais e tudo o que esteja relacionado com a vida dos clientes do Centro Comunitário.
- Usar de bom senso na resolução de assuntos imprevistos, informando os respectivos responsáveis;
- Actuar de forma gratuita e interessada, sem esperar contrapartidas e compensações patrimoniais;
- Contribuir para o desenvolvimento pessoal e integral do destinatário;
- Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário.

Deveres do Voluntário para com o Centro Comunitário

- Observar os princípios e normas inerentes à actividade, em função dos domínios em que se insere;
- Conhecer e respeitar estatutos e funcionamento do Centro, bem como as normas dos respectivos programas e projectos;
- Actuar de forma diligente, isenta e solidária;
- Zelar pela boa utilização dos bens e meios postos ao seu dispor;
- Participar em programas de formação para um melhor desempenho do seu trabalho;
- Evitar conflitos no exercício do seu trabalho de voluntário;
- Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário, sempre que surja algum impedimento deve avisar o enquadrador.
- Não assumir o papel de representante do CCPC sem o seu conhecimento ou prévia autorização;
- Não deve utilizar o nome do CCPC para tratar de assuntos pessoais sem prévia autorização.
- Utilizar devidamente a identificação de voluntário no exercício da sua actividade;
- Informar o CCPC com a maior antecedência possível sempre que pretenda interromper ou cessar o trabalho voluntário.
- Dentro do Centro e no exercício da sua função o Voluntário não deve fazer campanha política ou religiosa, vender produtos ou serviços quaisquer que sejam. Não deve desempenhar uma actividade que seja concorrente com a tarefa de voluntário (por exemplo: ser voluntário no RE-COOPERA e ter uma actividade comercial paralela).
- Colaborar com os profissionais do CCPC, potenciando a sua actuação no âmbito de partilha de informação e em função das orientações técnicas inerentes ao respectivo domínio de actividade;
- Contribuir para o estabelecimento de uma relação fundada no respeito pelo trabalho que a cada um compete desenvolver.
- Seguir as orientações estabelecidas pelos técnicos, dentro das instalações do Centro e em todas as actividades relacionadas com a instituição. Todas as sugestões, ideias, criticas ou dificuldades que existam em relação à sua tarefa ou à actividade devem ser apresentadas ao enquadrador.
- Respeitar a dignidade e liberdade dos outros voluntários, reconhecendo-os como pares e valorizando o seu trabalho;
- Fomentar o trabalho de equipa, contribuindo para uma boa comunicação e um clima de trabalho e convivência agradável;
- Facilitar a integração, formação e participação de todos os voluntários.

Requisitos para ser voluntário:

Ter interesse, motivação, disponibilidade para ser voluntário
- Definir o horário disponível para voluntariado e comprometer-se responsavelmente com esse horário.
- Colaborar de forma regular com o Centro
- Participar nos encontros e acções de formação destinadas a voluntários
- Para menores de 18 anos é necessário a autorização do encarregado de educação.
- Para voluntários com intervenção directa junto de crianças: Creche, ABC’s, Porta Aberta, Apoio escolar, é necessário Registo Criminal (nº1 do Artigo 2º da Lei nº113/2009 de 17 Setembro).
- Para Voluntários/formadores ou cuja actuação esteja relacionada com a sua área de conhecimento é necessário a apresentação do certificado de habilitações /CV.

Regras de funcionamento do Centro Comunitário:

O acesso a equipamento, utilização de viaturas, fotocópias e outros materiais é feita mediante autorização do enquadrador e em situações devidamente definidas.
- Não devem doar produtos ou bens aos clientes sem prévio conhecimento do enquadrador.
- Não é permitido estacionar as viaturas particulares dentro do recinto do Centro.
- Os telefones e telemóveis do Centro não são utilizados para fins particulares.
- Os bens doados ao Centro são propriedade do Centro e é proibida o para apropriação por parte de funcionários, colaboradores ou voluntários.
- Os voluntários têm direito a refeição ao preço definido para o efeito, salvo excepções devidamente aprovadas pela direcção de área.

 

 

Gestão de Voluntariado

 



Natércia Martins
natercia.martins@centrocomunitario.net
Tel. 214 578 952

Necessidades imediatas

INSCREVA-SE AQUI...



 


O Centro implementou o Sistema de Gestão de Qualidade, segundo a ISO 9001:2008, abrangendo as seguintes valências:
Apoio Social, Apoio Domiciliário, Espaço Sénior, Esperança de Recomeçar, Casa Jubileu 2000, Infância e Animação, GIP, Gestão de projectos e Voluntariado, Creche, UPA e está certificado pela SGS.

Powered by Green4Networks